Blog

Como fugir das compras por impulso?

19.02.2018

Como fugir das compras por impulso?

Não resiste a uma liquidação? Então veja todas as dicas que o Jeitto separou para você conseguir fugir das compras por impulso. Confira!

Atire a primeira pedra quem nunca viu uma peça em liquidação e, mesmo sem precisar, acabou levando para casa. Pois saiba que você, que disse que já caiu nessa tentação, não está sozinho. Estamos cercados de motivações externas e internas para comprar, que despertam no ser humano a vontade de ter cada vez mais. E quando o incentivo aumenta, como em época de promoções, fica mais difícil lidar com essa situação. Surge aí aquela sensação de que, se não comprar imediatamente, irá perder aquele produto de vista para sempre.

Apesar de sabermos que não é bem assim, ainda tem muita gente que compra por impulso. O problema é que essa falta de controle pode acabar prejudicando o orçamento. Mesmo que alguns ainda consigam escapar das dívidas, comprometem quantias que poderiam ser aplicadas em outras áreas mais importantes, como em uma reserva para emergências. De item em item “baratinho”, o valor total da conta pesa no bolso. Mas, então, como fugir das compras por impulso? O Jeitto tem algumas dicas para ajudar você lidar com essa tentação e manter as finanças em dia. Confira!

Tenha paciência

Um dos segredos para fugir de compras desnecessárias por impulso é esperar. Você foi ao shopping justamente na semana que todas as lojas estavam em promoção e gostou de algumas peças? Então não as leve para casa imediatamente, mesmo que estejam baratas. O intervalo de um dia, pelo menos, provavelmente fará com que você perceba que não precisava tanto assim daquele produto que até algumas horas antes parecia indispensável na sua vida. No dia seguinte também aparece aquela “preguiça” de voltar até a loja, o que contribui para a vontade acabar passando.

Pense bem

Muitas vezes, os itens que estão mais baratos nas promoções são aqueles que não vão fazer tanto sentido para você daqui um tempo, pois pertencem a coleções que estarão na moda agora, mas que logo ninguém mais estará usando. Antes de cair de cabeça naquela liquidação do final da estação, pense bem: será que essa peça que provavelmente nem irei usar mais este ano ainda será bacana até que surja uma nova oportunidade para usá-la? Se mesmo assim quiser levar, prefira cores neutras e peças atemporais. E não deixe de analisar bem a qualidade do produto, pois ele precisa ter uma boa durabilidade. Uma boa compra é aquela que você usará muito!

Pague à vista

Para ter mais noção dos seus gastos, o ideal é que as compras sejam feitas sempre em dinheiro. Visualizar uma determinada quantia indo embora aumentará as chances de você refletir mais sobre seu orçamento e comprar apenas o que você realmente precisa.

Identifique o que te faz sair dos trilhos

Maquiagem, perfume, sapatos, camisas de futebol, tênis, eletroeletrônicos… o que faz com que você acabe caindo na tentação de comprar mesmo quando não está precisando? Saber disso é essencial para ajudar a abandonar o hábito de sair levando várias coisas que não precisa – até quando o orçamento não permite. Uma boa notícia é que você não terá que abandonar de vez os seus gostos pessoais. O que manda aqui é o bom senso! Está desejando aquela máscara de cílios ou chuteira que acabou de ser lançada? Então guarde um pequeno valor mensal dentro das suas possibilidades para comprar o que tanto deseja quando puder.

Quando os sentimentos também influenciam

Perceba se o seu emocional está te conduzindo para o hábito de comprar compulsivamente. Às vezes, quando se está triste, com ciúmes ou ansiedade, podemos tender a querer algo que satisfaça e alivie essas sensações desagradáveis. Tenha em mente sempre que isso acontecer que o desejo de comprar não está ligado ao objeto em si, mas ao problema que está passando, uma coisa que aquela roupa ou sapato não poderá resolver, e ainda pode causar mais dor de cabeça no futuro, já que você mesmo que terá que arcar com a despesa. Sabendo disso, em situações em que está com vontade de comprar influenciado apenas pelo emocional, busque deixar o cartão e o talão de cheque em casa por precaução. Caso surja alguma necessidade, volte em casa, reflita se é mesmo essencial e só então volte para comprar. Não parece mais tão necessário assim ou ainda está em dúvida? Então deixe para outra hora.

Busque ajuda de quem está por perto

Ainda não consegue lidar bem com o consumo e sempre acaba levando para casa algo que não deveria ou precisava? Então, antes de encarar a próxima ida ao shopping, convide um amigo ou familiar que seja controlado para te acompanhar. Lembre-se: nada proíbe que você compre o que quer, mas isso é uma questão de necessidade e prioridade, por isso uma companhia que ajude a dar uma opinião e analisar suas escolhas com outro olhar pode ser importante na sua decisão.

A ciência explica

Fazer compras deixa você mais contente e animado? Pois saiba que essa sensação prazerosa não é apenas mera impressão. Isso ocorre porque o corpo humano libera endorfina, um hormônio que proporciona sensação de felicidade e bem-estar, um verdadeiro analgésico natural. Mas fique atento: toda essa euforia pode passar quando as contas chegam! Se você quer experimentar essa sensação sem prejudicar o orçamento, inclua no seu dia a dia exercícios físicos, cante, trabalhe em equipe, dance, coma alimentos picantes ou chocolate amargo, sorria espontaneamente, faça atividades que dão frio na barriga, tenha contato com a natureza, receba uma massagem, dê carinho. Essas e muitas outras coisas no seu dia a dia ajudam a liberar endorfina e não custam nada!

Fugir de compras desnecessárias não é uma tarefa simples, mas possível para quem tem disciplina. Conforme você se acostuma a analisar com mais calma a sua relação com o consumo, começa a perceber que é mais fácil gerenciar os gastos e driblar as tentações, ficando longe de dívidas e do temido nome sujo. Coloque esta e outras dicas do Jeitto em prática e transforme a sua saúde financeira! Quer saber mais? Então confira tudo em nosso blog!